Meguilat Ester - Capítulo II

Após esses fatos, já aplacada a ira do rei Achashverosh, lembrou-se de Vashti e do que ela fizera e do que fora decretado contra ela. Então disseram os moços do rei, seus servidores: "Procurem-se moças para o rei, donzelas jovens e de boa aparência. E que o rei nomeie comissários em todas as províncias de seu reino para que reúnam todas as donzelas jovens e de boa aparência em Shushan, a capital, no harém, sob os cuidados de Heguê, camareiro do rei, guarda das mulheres; e dêem-se-lhes seus cosméticos. Então, a moça que cair no agrado do rei, reinará em lugar de Vashti." O conselho agradou ao rei, que assim fez. Havia um homem judeu em Shushan, a capital, cujo nome era Mordechai, filho de Yair, filho de Shim'i, filho de Kish, da tribo de Binyamin. Que fora desterrado de Jerusalém no degredo junto com os que haviam sido exilados com Yechonyá, rei de Yehudá, exilado por Nevuchadnetsar, rei da Babilônia. Criara ele a Hadassá, i.e., Ester, filha de seu tio, pois não tinha pai e mãe. E a moça era de porte formoso e de boa aparência; e quando morreram o pai e a mãe, Mordechai a adotara como filha. E sucedeu que, ao se divulgar a solicitação real e seu decreto, e ao se reunir um grande número de moças em Shushan, a capital, sob os cuidados de Hegai, foi levada Ester ao palácio aos cuidados de Hegai, guarda das mulheres. A moça caiu em seu agrado e obteve seu favor; ele se apressou em preparar seus cosméticos e seus alimentos especiais, e mais sete aias a ela designadas pelo palácio; e a transferiu com suas aias para os melhores aposentos do harém. Não contou Ester sobre seu povo nem sobre seu parentesco, pois Mordechai a instruiu que não contasse. Cada dia Mordechai passava diante do pátio do harém para saber como passava Ester e o que lhe sucedia. Ora ao chegar a vez de cada moça vir ao rei Achashverosh, depois de tratada segundo à maneira prescrita para as mulheres, por doze meses - pois este foi o tempo prescrito para realizar seu embelezamento: seis meses com óleo de mirra e seis meses com perfumes e cosméticos femininos. Quando a moça vinha ao rei, tudo o que solicitava era-lhe dado para acompanhá-la do harém ao palácio. Ao entardecer entrava e pela manhã retornava ao segundo harém, aos cuidados de Shaashgaz, o camareiro do rei, guarda das concubinas. Não tornava mais ao rei, salvo se o rei a desejasse de volta, e fosse chamada pelo nome. Quando chegou a vez de Ester, filha de Avicháyil - tio de Mordechai, que a adotara como filha - apresentar-se ao rei, nada pediu além do que recomendara Hegai, camareiro do rei, guarda das mulheres. E sucedeu que Ester cativou todos que a viram. Foi levada Ester ao rei Achashverosh, a seu palácio, no décimo mês, que é o mês de Tevêt, no sétimo ano de seu reinado. Amou o rei a Ester mais do que a todas as mulheres, e ela encontrou graça e favor perante ele mais do que todas as donzelas; e pôs-lhe a coroa real na cabeça e a fez rainha no lugar de Vashti. Ofereceu então o rei um grande banquete a todos seus oficiais e servos - foi o banquete de Ester - e proclamou anistia [fiscal] a todas as províncias e distribuiu presentes à altura de um rei. Quando, pela segunda vez, foram reunidas donzelas e Mordechai estava assentado ao portão real. Ainda não havia Ester contado de seu parentesco nem de seu povo, conforme lhe instruira Mordechai, pois a ordem de Mordechai, Ester cumpria como quando estava sob sua tutela. Naqueles dias, estando Mordechai assentado ao portão real, indignaram-se Bigtan e Têresh, dois camareiros do rei, da guarda da porta, e tramaram atentar contra o rei Achashverosh. Chegou a conspiração ao conhecimento de Mordechai, que a contou à rainha Ester; e Ester informou o rei, em nome de Mordechai. Investigou-se o caso e, confirmado, foram ambos enforcados. Isso foi consignado no livro de crônicas na presença do rei.

0 comentários: