PALAVRA PROFÉTICA VAI TUDO BEM !

Habacuque 3:17-19 MISS ELAINE

5 DIA DE VITÓRIAS

TERCEIRO DIA DE VITÓRIAS

MONTE CAMPANHA 21 DIASEntão tomou Samuel uma pedra, e a pôs entre Mizpá e Sem, e chamou-lhe Ebenézer; e disse: Até aqui nos ajudou o Senhor. - 1 Samuel 7:12 acf.

Texto Bíblico: II Samuel 9
INTRODUÇÃO:
Lo-Debar era um lugar usado por pessoas que não queriam que a sua história fosse conhecida, ninguém falava acerca da sua história em Lo-Debar, era um lugar esquecido, era um lugar apropriado para alguém ser esquecido, era um lugar dominado pelo medo.
Ali vivia Mefibosete, um menino que nasceu para um dia ser rei, mas que fora assaltado pela tragédia, perdeu a realeza, a família e a capacidade de andar em um só dia, passou a viver em Lo-Debar.Mas o Rei lembrou-se de seu amigo Jonatas, e mandou chamar Mefibosete que era filho do amigo do Rei.
Saia de Lo-Debar e venha pra casa do Rei.
Hoje Deus nos chama também a sairmos do nosso mundinho e virmos pra casa do Rei, o que devemos fazer para sairmos da nossa Lo-Debar?
Conheça os Materiais de Apoio para Pregadores e Ensinadores
1. NÃO SE PERMITA DOMINAR PELO MEDO
Mefibosete apresenta-se como “um cão morto”. Aqui vemos a auto-estima de um homem que não tinha mais perspectiva alguma na vida. Um cão morto. Nem se considerava mais gente. Simplesmente um cão, morto.
2. CREIA NA BONDADE DO REI
Muitas vezes perdemos anos preciosos da nossa vida sem desfrutarmos da bondade do Rei. Mefibosete não acreditava que o rei pudesse ser bondoso para com ele.
Nós precisamos crer e desfrutar da bondade do rei.
3. DESFRUTE DAS RIQUEZAS DO REI
Naquele momento, por amor a Jonatas, Davi restitui a Mefibosete tudo que pertencia à sua família, ao seu pai e ao seu avô. Davi também determina que, daquele dia em diante, ele seria tratado como um dos filhos do rei.
4. DESFRUTE DA INTIMIDADE DO REI
Deus nos chama de Lo-Debar para o seu palácio onde, por amor de seu filho, nos oferece sua mesa. A única coisa que temos que fazer é comer da mesa do rei, nos alimentarmos da sua Palavra, em sua presença, todos os dias de nossas vidas.
5. ARRANQUE LO-DEBAR DO SEU CORAÇÃO
Nesse momento, tudo o que vivemos em Lo-Debar já não conta. Já não temos mais nada a ver com Lo-Debar. Entretanto, muitas vezes nós saímos de Jerusalém e retornamos a Lo-Debar. Quando não damos ouvidos à Palavra de Deus, quando não entramos em sua presença em oração e permitimos que os velhos medos, frustrações, desesperos, falta de perspectiva ocupem novamente nossas mentes.
CONCLUSÃO: A boa notícia do evangelho é clara: LO DEBAR NÃO É MAIS O SEU LUGAR! Você foi chamado pelo rei para comer da sua mesa. Deixe Lo Debar para trás e nunca mais retorne para lá, você não precisa mais disso. Jesus já pagou o preço, sofreu em nosso lugar para que tenhamos acesso ao trono do Pai. Vamos meditar hoje em 2 Samuel 9:1-13 Que nos diz:.
“1 E DISSE Davi: Há ainda alguém que tenha ficado da casa de Saul, para que lhe faça benevolência por amor de Jônatas?
2 E havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba; e o chamaram à presença de Davi. Disse-lhe o rei: És tu Ziba? E ele disse: Servo teu.
3 E disse o rei: Não há ainda alguém da casa de Saul para que eu use com ele da benevolência de Deus? Então disse Ziba ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés.
4 E disse-lhe o rei: Onde está? E disse Ziba ao rei: Eis que está em casa de Maquir, filho de Amiel, em Lo-Debar.
5 Então mandou o rei Davi, e o tomou da casa de Maquir, filho de Amiel, de Lo-Debar.
6 E Mefibosete, filho de Jônatas, o filho de Saul, veio a Davi, e se prostrou com o rosto por terra e inclinou-se; e disse Davi: Mefibosete! E ele disse: Eis aqui teu servo.
7 E disse-lhe Davi: Não temas, porque decerto usarei contigo de benevolência por amor de Jônatas, teu pai, e te restituirei todas as terras de Saul, teu pai, e tu sempre comerás pão à minha mesa.
8 Então se inclinou, e disse: Quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu?
9 Então chamou Davi a Ziba, moço de Saul, e disse-lhe: Tudo o que pertencia a Saul, e a toda a sua casa, tenho dado ao filho de teu senhor.
10 Trabalhar-lhe-ás, pois, a terra, tu e teus filhos, e teus servos, e recolherás os frutos, para que o filho de teu senhor tenha pão para comer; mas Mefibosete, filho de teu senhor, sempre comerá pão à minha mesa. E tinha Ziba quinze filhos e vinte servos.
11 E disse Ziba ao rei: Conforme a tudo quanto meu senhor, o rei, manda a seu servo, assim fará teu servo. Quanto a Mefibosete, disse o rei, comerá à minha mesa como um dos filhos do rei.
12 E tinha Mefibosete um filho pequeno, cujo nome era Mica; e todos quantos moravam em casa de Ziba eram servos de Mefibosete.
13 Morava, pois, Mefibosete em Jerusalém, porquanto sempre comia à mesa do rei, e era coxo de ambos os pés.”
Havia ainda um jovem com um nome bem peculiar – Mefibosete -, que era filho de Jônatas e, provavelmente, estava na linhagem real. Fora nascido para ser príncipe, mas vivia no deserto. A Palavra de Deus diz que Mefibosete era aleijado de ambos os pés. 2 Sm 4:4 “Jônatas, filho de Saul, tinha um filho aleijado dos pés; era de idade de cinco anos quando de Jezreel chegaram as notícias da morte de Saul e de Jônatas; então sua ama o tomou e fugiu; sucedeu que, apressando ela a fugir, ele caiu, e ficou mando.
Seu nome era Mefibosete.” O Vale de Jezreel, era a planície onde se travou a batalha entre Israel e os Filisteus.
Como naquela época a medicina não era tão avançada, e havia pouco conhecimento de ortopedia, os ossos daquela criança cicatrizaram de forma errada, por isso seus pés cresceram deformados.
O nome “Mefibosete” em hebraico é composto por duas palavras; a primeira significa: “despedaçado”, e a segunda: “vergonha”.
Creio que toda essa história, o ESPÍRITO SANTO escreveu para revelar nosso próprio estado decaído vergonhoso e vil. Assim é a expressão do nosso coração despedaçado pelo pecado, envergonhado diante de Deus e dos homens.
Em 2 Sm 9.8, Mefibosete ao chamar-se de "Cão morto", ele usa as palavras descritivas para lembrar que ele era uma criatura desprezível, vil e indigna O pecado transtorna tanto o ser humano que afinal o torna desprezível aos seus próprios olhos, formando uma auto-imagem negativa de si mesmo, incapaz de perceber que em Jesus Cristo ele se torna uma nova criatura.
 A GRAÇA DE DEUS E MEFIBOSETE“Disse Davi: Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que use eu de bondade para com ele, por amor de Jônatas? Havia um servo na casa de Saul cujo nome era Ziba; chamaram-no que viesse a Davi.
Perguntou-lhe o rei: És tu Ziba? Respondeu: Eu mesmo, teu servo. Disse-lhe o rei: Não há ainda alguém da casa de Saul para que use eu da bondade de Deus para com ele? Então, Ziba respondeu ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés.”( 2 Sm 9:1-3)
Alguém já disse que graça de Deus é presente dado sem que mereçamos.
A graça portuguesa vem do latim Gratus, agradável, amável.
Dentro da teologia cristã, a “graça” vem indicar o favor divino; gratuitamente oferecido, com base na missão de Cristo, recebida através da confiança humana na palavra de Cristo.
O vocábulo: No grego é ‘charis’. A palavra traduzida por “graça” envolve muitos sentidos. Significa: Graciosidade, atrativos, favor, cuidados ou ajuda graciosa, boa vontade, dom gracioso.
Esse texto é um relato de graça e favor imerecido, do Rei Davi para com Mefibosete, filho de Jônatas, homem mui amado de Davi, que tempos atrás havia feito uma aliança com Jônatas de fidelidade e bênção.
É uma história semelhante a que Deus o Rei dos reis (Davi), por causa de seu amor ao filho (Jônatas), abençoa os homens (Mefibosete), apesar de seus pecados.
 UM CORAÇÃO TRANSBORDANTE DE GRAÇA
Davi, um vencedor, todas as batalhas foram por ele ganhas, ficou muito rico e abastado.
Uma pergunta graciosa. “ Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul., para que use eu de bondade para com ele, por amor de Jônatas”( 2 Sm 9:1)
Davi havia feito uma aliança de amor e fidelidade perpétua com Jônatas e sua posteridade.(I Sm 20:13-17)
O termo amor, usado por Davi, vem do hebraico “hesed”, que significa: Misericórdia, bondade, amor permanente, firme, imutável.
Um servo depreciador: Ziba. “ Disse-lhe o rei: Não há ainda alguém da casa de Saul para que use eu de bondade de Deus para com ele? Então Ziba respondeu ao rei: Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés.” (2 Sm 9:3)
Davi não estava perguntando as propriedades físicas do indivíduo; se perneta, aleijado, bom, se era rico, pobre, ou merecedor da graça; o que ele queria era oferecer, presentear Mefibosete.
Um aleijado em Lo-debar. Em hebraico significa: um lugar árido; em português, o nome pode significar: terra onde não há pasto. É como se o servo dissesse que o filho de Jônatas estava vivendo no sítio de completa aridez; aonde não havia colheitas, despovoado, um deserto.
Buscando o aleijado. (2 Sm 9:5) “… mandou o rei Davi trazê-lo de Lo-debar…”
Mefibosete recebeu o convite e aceitou ir a até o Rei. ( Mt 22:1-14)
Palavras consoladoras de Davi para com Mefibosete, um servo desconfiado. “Não temas, porque usarei de bondade para contigo por amor de Jônatas, teu pai…” 2 Sm 9:7
 O AMOR DE DEUS É INCONDICIONAL
No versículo 1 Davi faz menção de usar de benevolência baseado na Aliança de Amor que ele havia feito com Jônatas: “E DISSE Davi: Há ainda alguém que tenha ficado da casa de Saul, para que lhe faça benevolência por amor de Jônatas?”; e num espaço de tempo entre os versículos 1 e 3 eu imagino que Davi tenha pensado, refletido, e chegado à conclusão de que ele conhecia o seu próprio coração, que era incapaz de amar a Mefibosete baseado no seu próprio amor, então no verso 3 ele recorre à outra expressão: “Não há ainda alguém da casa de Saul para que eu use com ele da benevolência de Deus?”
Davi entende que seria incapaz de amar a Mefibosete baseado somente na Aliança que ele havia feito ao seu fiel amigo Jônatas, então ele recorre ao amor incondicional de Deus, que ele mesmo conhecia profundamente. Não há absolutamente nada em nós humanos pecadores que altere o amor incondicional de Deus. Não temos méritos algum, nada podemos fazer para Deus para que Ele nos ame.
 SE ELE NÃO OBTIVER UMA REVELAÇÃO DA GRAÇA DE DEUS!
1.Olhando para o versículo 1 do capítulo 9 de 2 Samuel, a frase "...para que lhe faça bem...", é o termo hebraico CHESED, traduzido por GRAÇA; é muito mais que um favor imerecido; a Graça só pode mesmo brotar do coração de Deus que tanto amou o homem pecador.
2.Quando ele indaga: "Há alguém..." - é um desejo incondicional, uma questão que flui graça, amor e misericórdia de Deus; O que levaria ao Rei Davi se interessar por alguém da linhagem antecessora do rei, se era comum que o novo rei desterrasse por completo a linhagem anterior do seu reino? Só o amor de Deus derramado em nossos corações nos leva às atitudes reais e tão sublimes como esta do Rei Davi.
Quais as realidades espirituais deste texto podem tirar como lições para nossas vidas hoje através de Davi e Mefibosete?
A. Davi – representa o Senhor Jesus Cristo que, por causa da Nova Aliança baseada no Seu sangue derramado na cruz do calvário, decidiu usar de bondade amor e Graça para conosco. Davi foi bondoso com Mefibosete, não porque o filho de Jônatas fosse merecedor de honras, deficiente físico que deveria gozar de algum privilégio social, ou bonzinho, mas apenas por causa da aliança firmada com o filho de Saul.
B. Mefibosete – representa o homem pecador, aleijado, deficiente físico e espiritual por causa do pecado. O homem fora criado por Deus para ser rei, mas vive na plebe, na miséria, com os pés quebrados, mas saiba: Deus é Misericordioso, e Suas Misericórdias são a causa de não sermos consumidos, pois Elas se renovam a cada manhã.
Hoje, Jesus, o nosso Rei, quer usar de bondade para conosco, não porque sejamos merecedores, porque não há nada que façamos nesta terra que nos faça ser merecedores de alguma Graça que vem de Deus, mas por causa da aliança firmada com o Sangue do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo vertido na cruz do calvário.
O QUE SIGNIFICA TER OS PÉS ALEIJADOS?
A principal característica de Mefibosete eram os seus pés aleijados. O significado de pés na Bíblia, apontam para o nosso caminhar. O Fato de Mefibosete ter os pés aleijados, significa que seu caminhar diante dos homens era torto, deficiente, e diante de Deus, era espiritualmente defeituoso; definitivamente havia pecados na vida deste homem e ao estudar a sua história podemos concluir isto.
Destacamos aqui o grande Amor que o Senhor demonstrou: Ele resolveu usar de bondade para conosco quando ainda tínhamos nossos pés aleijados, joelhos trôpegos e mãos decaídas, quando andávamos por caminhos tortuosos, andávamos desgarrados, andávamos no pecado Se o pecado persistir em nossas vidas teremos as mesmas características de alguém com os pés aleijados.
1. Um aleijado não anda normalmente, anda cambaleante, ele não anda ereto. Quando há pecado em nossas vidas, andamos cabisbaixos, alienados de Deus, incapazes de olhar para o céu em gratidão a Deus, por causa da terrível vergonha que o pecado nos causa;
2. Alguém que possui um andar defeituoso não consegue andar tanto quanto os outros, este indivíduo é lento, cansando-se rapidamente porque precisa gastar muita energia; É perceptível como o pecado na nossa vida drena nossas forças e nos faz incapazes de avançar normalmente na Vida Cristã como os demais irmãos, então passamos a ser fardos pesados, pedras de tropeços, e impedimos a Igreja de avançar, pois somos carregados pelos outros;
3. Por ser uma pessoa com os pés aleijados, além de atrasar o avanço dos outros, não conseguimos chegar até onde os outros normalmente vão, aleijados, ou deficientes físicos possuem enormes dificuldades e muitos obstáculos são colocados para eles caminharem. E atentem bem, não estou aqui me referindo às deficiências físicas, estou falando de deficiências espirituais.
Lembra-se do pecado de Miriam, irmã de Moisés? Ela teve de ser colocada fora do arraial, e enquanto ela estava fora do arraial para ser restaurada da sua lepra, Moisés e o povo de Israel ficaram impedidos de prosseguir a sua jornada. Ela atrasou o avanço do arraial para chegaram em Canaã.
Veja sinceramente, o quanto eu e você muitas vezes temos impedido que o arraial do Senhor avance para o alvo que o Senhor propôs.
Se você tem percebido que não consegue caminhar normalmente junto com os demais irmãos, não tem sentido prazer na comunhão dos santos, e que está havendo um cansaço de alma constante fazendo-o desistir, deixando os sonhos morrerem à beira do caminho, enquanto todos caminham avante, pare e observe se porventura, há pecados em sua vida.
Por outro lado, pode ser que você esteja consciente do seu pecado e, por isso mesmo, tem entrado num estado de prostração e desespero angustioso de tentar esticar os pés tortos. As pessoas dizem que é só uma questão de decisão, de perseverança ou disciplina mas nada parece fazer efeito sobre os seus pés.
Tantos caminham normalmente eretos ao seu lado e você não entende por que eles tem tido sucessos, parecem tão ágeis, rápidos, espertos, com um caminhar tão correto diante de Deus e você vive capengando num caminhar desajeitado de altos e baixos, tropeçando aqui, caindo acolá. Você sente-se diferente, mais pecador e pior que os outros.
É impossível ao homem esticar os próprios pés aleijados. É terrível quando somos cobrados por coisas que não conseguimos mudar em nós. O nosso estado psicológico fica destroçado. Foi exatamente isso que aconteceu com este homem, Mefibosete, e por isso que ele foi morar muito longe das terras reais dos seus pais, foi morar em LO-DEBAR.
 LO-DEBAR É DESERTO, É LUGAR DE FUGA!
Lo-Debar é um lugar seco e árido, inóspito, onde nada se planta e nada se colhe. Em deserto, lugar de areia e sol escaldante não adianta plantar nada mesmo. É um lugar de desolação, tédio, solidão, depressão, tristeza, é de fato um lugar de fuga. A situação fica pior quando lembramos que Mefibosete
fora criado para ser um príncipe, pois era da linhagem Real de Jônatas, filho do rei Saul, criado para morar num palácio e desfrutar do melhor da vida. Não fomos criados para nos contentar com uma vida árida, pois fomos criados para abundância e para dignidade.
Não somos donos do mundo, mas somos filhos do dono! Diz um provérbio popular. Mas, quando cedemos espaço em nossas vidas para aquilo que está fora da vontade de Deus; quando o nosso caminhar está fora do padrão do Senhor, invariavelmente, vamos morar fugindo isolado em Lo-Debar, no deserto, quando deveríamos morar em Canaã, o lugar de delícias. Por detrás de um deserto sempre existem pés aleijados.
É por isso que o casamento de muitos é Lo-Debar, o trabalho, a vida emocional, a vida financeira e a vida espiritual de tantas pessoas é Lo-Debar. Este é o lugar daqueles feridos, machucados, daqueles que vivem no anonimato por causa do nosso pecado. Este é um lugar onde mora alguém que já perdeu todas as esperanças!
Mas hoje tenho uma boa notícia para todos nós. O Rei Davi, veio buscar Mefibosete em Lo-Debar, para morar em Jerusalém a cidade do Grande Rei (v.5) Além disso, Davi restituiu tudo àquilo que, por direito de herança era de Mefibosete. (v.7)
O Rei dos Reis, Jesus Cristo, veio hoje ao nosso encontro em Lo-Debar, para nos levar para Jerusalém, a cidade do Grande do Rei, e também veio nos restituir tudo aquilo que perdemos ou que o inimigo nos tenha roubado. Ele quer usar de bondade para conosco e nos levar para Jerusalém, onde está o melhor de Deus – uma vida de abundância e prosperidade. Não merecemos nada, mas Deus que é o dono de todo ouro e toda prata, de todas as riquezas, quer nos dar tudo. Somos Co-Herdeiros com Jesus Cristo, pela Sua divina e abundante Graça.
 AUTO-IMAGEM NEGATIVA
Uma auto-imagem negativa de si mesmo é extremamente venenosa, e nos impede de vermos com nitidez a Deus, e como é terrível nossa miopia espiritual, e como isto nos impede de sermos abençoados por Ele.
Qual foi a atitude de Mefibosete quando o Rei Davi o procurou para fazer-lhe bem? Mefibosete disse ao rei: “na verdade não passo de um cão morto; não mereço receber nada de Deus.” Um homem com auto-imagem negativa, com baixa estima de si mesmo, não percebe que Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo conquistou uma herança incorruptível e gloriosa na Cruz, e que agora somos co-herdeiros de Deus com Cristo Jesus.
Mebifosete tinha sua auto-imagem negativa, só via a si mesmo, e não para o que Deus poderia fazer por ele. Forçado pelas circunstâncias em que ele vivia. Embora não tenhamos méritos nenhum diante de Deus. É como se ele dissesse: - já tentei mudar o meu andar de todas as formas, já tentei sair desta vida de sequidão de todo jeito, mas não consigo. Eu só posso concluir que eu não presto para coisa alguma.
Não sou nada mesmo. Não tenho nenhum valor. Não passo de um cachorro morto. Embora devamos entender que o homem pecador é vil, desprezível, sem nenhum valor, mas Em Cristo somos novas criaturas, e temos valor para nosso Deus Pai. É nesse momento que precisamos lembrar que ninguém pode esticar os próprios pés aleijados. Nós precisamos de um santo ortopedista, do Médico Jesus Cristo de Nazaré.
Ficar se auto-depreciando, numa atitude de auto-piedade, não honra a Deus, mas esconde nosso orgulho, mascaramos uma falsa humildade. Precisamos crer e nos abrir para receber a graça do Senhor. Não há nada imutável a não ser o próprio Eterno Deus que é o mesmo ontem, hoje e será eternamente o mesmo; mas até o pau que nasce torno, como diz o provérbio popular, O Carpinteiro de Nazaré poder endireitar. Quer mudar a sua imagem? Ande com Jesus Cristo!
 SEIS SIGNIFICADOS ESPIRITUAIS DE SE ASSENTAR À MESA DO REI:
Mefibosete comeu pão assentado na mesa do rei Davi, como se fosse um dos filhos de Davi (V.11).
Nós, porém, nos assentamos à mesa do Senhor, porque formos feitos de fato filhos do Rei. Há pelo menos seis significados espirituais pelo fato de assentarmos à mesa do Rei:
1. RECEBER HONRA REAL
Rostos tristes, deprimidos, deficientes físicos, não eram permitidos entrar na presença do Rei. Ester 4:2 diz ”e chegou ate a porta do rei, porque ninguém vestido de pano de saco podia entrar pelas portas do rei.” Veja também Neemias 2:2 “o rei me disse: por que está triste o teu rosto, se não estás doente?
Tem de ser tristeza do coração. “Então temi sobremaneira”, sabe por que Neemias ficou amedrontado? Porque um servo com o rosto triste não era permitido entrar na presença do rei. Somente as pessoas nobres e honradas comem assentados na mesa do rei.
Você pode fazer idéia do que isso representava para alguém que se via como um cachorro morto, como alguém que a si mesmo sentia desprezado, sentia-se um lixo? É tamanha a bondade do rei que é quase impossível de acreditar nesta possibilidade. Mas, pelo Seu infinito amor, Deus nos fez nobre em Jesus Cristo. Não somos mais cães mortos; somos filhos do Rei. Somos Co-Herdeiros do Reino, em Cristo.
2. DESFRUTAR DA COMUNHÃO DO REI
É ser chegado bem próximo do Senhor, é sentir o seu perfume, o pulsar de suas veias, o bater do seu coração, ouvir as coisas de perto, seus segredos, é desfrutar da abundância da sua provisão. É comer e beber do melhor. A Palavra de Deus diz em Isaias 1:18 “Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra.”
Qual o ser humano que não gosta, não se sente honrado de estar perto e ser amado e reconhecido por uma pessoa famosa? Quando aceitamos o convite de Jesus para cearmos com Ele, nós estamos assentados diante do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores, não existe um Rei maior que o Senhor Jesus Cristo, e não existe um Reino mais rico e duradouro que o D`Ele.
Mas, muitos recusam o maravilhoso convite da Graça. Querem continuar vivendo em Lo-Debar na pobreza e na miséria de vida material e espiritual. E atentemos também que a Mesa do Senhor é o lugar da nossa comunhão com outros irmãos, é na comunhão que o Senhor ordena a Sua Bênção.
E veja como preciosa é esta comunhão, como nos ensina o salmista Davi, Salmos 133:1-3 “OH! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. 2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. 3 Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre.”
3. OS PÉS ALEIJADOS SÃO ENCOBERTOS
A mesa simboliza a ação do sangue de Jesus na Nova Aliança. Pois quando estamos assentados à mesa, ninguém vê os pés uns dos outros? Assentados à mesa todos somos iguais, até mesmo o homem mais aleijado, o mais terrível pecador, e com os pés mais deformados, passa a ser saudável.
Na mesa da Comunhão com Cristo e com os nossos irmãos podemos ver nitidamente como é bela a nossa comunhão com Deus e com os nossos irmãos baseado no sangue de Jesus que nos cobre e nos livra de nossas iniqüidades.
Deus não quer olhar para os nossos pés tortos, pois Ele já fez a provisão completa pelo sangue de Jesus Cristo. Precisamos enfim, ter uma profunda revelação do significado da Mesa do Senhor.
Se trata de um pão e um pouco de vinho, mas a Mesa do Senhor aponta para o sacrifício vicário de Cristo, aponta a incomensurável Graça do Amor de Deus sendo alimento e bebida para nossa saúde espiritual.
Ao olharmos para Mesa do Senhor, precisamos atentar para o significado do Pão inteiro que é o próprio Senhor Jesus Cristo, e o pão partido é a Sua Igreja.
Assim, jamais os crentes devem se ausentar da mesa, não é isto que Paulo ensina em I Coríntios 11, mas Paulo fala para termos a revelação do Corpo Místico de Cristo, logo, deveremos então aproximarmos muito mais da Sua Mesa, onde está o suprimento, a cura das nossas enfermidades, a bebida, a Graça e o Amor de Deus sendo expostos ao nosso favor.
4. DIETA APROPRIADA FAZ MUDAR A IMAGEM DE SI MESMO
A Bíblia nos mostra que nós somos mudados pela nossa dieta. Aquilo que comemos, passa a fazer parte do nosso organismo, daí a dieta apropriada nos faz mudar a auto-imagem negativa que temos de nós mesmos, para alguém otimista, alegre, disposto.
A Palavra de Deus nos ensina que contemplando o Senhor Jesus, somos transformados de Glória em glória, refletindo como por um espelho a imagem do Senhor Jesus. E na mesa do Rei os alimentos mais saudáveis, mais apropriados, os mais excelentes são servidos.
Aqui está a maravilhosa obra do Senhor Jesus Cristo na cruz. Ele não apenas cobre os nossos pecados, mas nos liberta e nos cura quando comemos da Sua carne, que é a Palavra, e bebemos do seu sangue, que possuem todos os nutrientes de vitaminas e sais minerais mais completos. Comer diariamente à mesa do Rei é a maneira de Deus nos transformar e curar os nossos pés.
Depois de tentarmos de tudo para nos curar e provarmos da angústia de um caminhar defeituoso e pecaminoso, só nos resta aceitar a Sua oferta de usar de bondade para conosco, nos levando de Lo-Debar para Jerusalém, onde podemos comer sempre do mais excelente alimento assentados à Sua mesa.
5. NA MESA DO SENHOR NÃO HÁ LUGAR PARA CRÍTICAS
O Rei Davi não chamou Mefibosete para dar-lhe uma ordem que ele não fosse plenamente capaz de cumprir.
Ele também não chamou Mefibosete para criticar sua deficiência física, seu caminhar torto. Não o humilhou nem o rejeitou, mas se ofereceu para usar de bondade para com ele.
O Rei não faz acepções de pessoas todas e quaisquer pessoas que recebem a Jesus como Senhor e Salvador são aceitos de maneiras iguais na Mesa do Senhor. Ali o pecador por mais vil que seja pode desfrutar da comunhão com Rei Jesus e também com os demais irmãos.
6. NO REINO NÃO HÁ LUGAR PARA OCIOSOS, TODOS SÃO ÚTEIS
Somos um reino de sacerdotes, todos nós somos ministros, esta idéia onde só o clero trabalha é fruto da religião sem Deus. Pois Deus sempre trabalhou e sempre trabalhará.
Nós todos temos de ser participantes na obra de Deus. A religião criou um sistema onde só pastores têm de trabalhar, são assalariados, e os demais são meros expectadores assentados e limpando os bancos nos prédios de reuniões.
Uns pagam e outros executam a obra! No verso 10 quer dizer que embora Davi fosse prover as necessidades básicas de Mefibosete, este seria responsável pela manutenção de sua própria família e de seus servos. Mesmo deficiente físico, pode ser útil no Reino. Aqui não há lugar para preguiçosos e expectadores. Aqui não há lugar para turistas espirituais.
Nestes dias o Rei tem nos enviado ÀS NAÇÕES, às cidades, aos centros, às vilas, aos becos, à convidar as pessoas para virem ao Seu Reino. Aqui há muitíssimos lugares para os excluídos, para os pobres, meretrizes, prostitutas, homossexuais, bêbados, pobres, ricos, de todos os povos e nações.
O Rei dos Reis, Jesus de Nazaré está te chamando: - “Venha do jeito que você está, venha pecador, aleijado, mancando, arrastando, mas venha; porque eu quero usar de bondade para com você”.
A mesa já está posta, venha assentar-se já! É de Graça, não se cobra ingresso nem sacrifícios. Ele só está esperando você chegar para dar início à festa. “Eis que Eu estou à porta e bato, e se, alguém ouvir, e abrir a porta, Eu entrarei em seu coração, e farei uma Festa” Ap. 3:20.
Assim como Davi deu a Mefibosete terras e um lugar em sua própria casa enquanto ele vivesse, Deus nos oferece dádivas como a salvação e um lugar em Seu lar.
Davi tratou Mefibosete bondosamente por causa de seu grande amor por Jônatas, da mesma forma que Deus nos trata bondosamente por causa do Seu único Filho, Jesus, amém! 
A VERDADEIRA HISTÓRIA DE MEFIBOSETE E LO-DEBAR
“Uma mentira repetida mil vezes torna-se verdade”. Esta frase, proferida por Joseph Goebbels, ministro da propaganda nazista, expressava a convicção de que o mais importante não é o que se diz, mas o efeito que provoca no público. Pensando assim, Hitler e seus adeptos construíam a “verdade” que desejavam por intermédio da imprensa.
Conquanto muitos discordem desse pensamento, temos de admitir que, de fato, isso funciona. Basta divulgar uma informação na mídia, seja televisão, redes sociais ou qualquer outro meio de comunicação, que, rapidamente, o assunto se reveste de veracidade. Isto porque, a maioria acredita cegamente naquilo que é veiculado através desses meios.
Todavia, esse fenômeno não é exclusividade do “mundo”. Também no meio evangélico acontece esse tipo de coisa. Basta um tele pregador afirmar algo para que sua assertiva seja popularizada e transformada em verdade absoluta. É assim que surgem, por exemplo, as interpretações “oficiais” de textos da Bíblia. Porquanto, depois que um dos homens da mídia propaga suas ideias (muitas vezes heréticas), elas se tornam paradigmas. Quem ousar apresentar outra explicação para o mesmo texto correrá o risco de ser massacrado pelas críticas dos fiéis.
Um caso desses é a interpretação popular do episódio envolvendo o rei Davi e o filho de Jônatas, Mefibosete. A grande maioria dos pregadores usa a “explicação oficial” do texto, a saber, a ideia de que Mefibosete sofreu desde os cinco anos de idade, quando ficou aleijado, pois se somaram à deficiência física diversas privações, uma vez que, após a morte de seu pai, fora criado por um mendigo em uma terra desértica chamada Lo-dᵉbar. Segundo esse raciocínio, somente com a ação graciosa de Davi seu sofrimento teve fim.
Partindo dessa premissa, preletores mal informados identificam Davi com Deus, Mefibosete com seus ouvintes e Lo-dᵉbar com a dificuldade que alguns estão vivendo. Usando essa linguagem metafórica, apelam para o lado emocional de seus ouvintes asseverando que o Senhor não permitirá que eles permaneçam em Lo-dᵉbar, mas os porá à mesa com o rei. Isto é, eles desfrutarão do “melhor dessa terra”, terão todas as suas necessidade supridas e não mais sofrerão.
Apesar de serem agradáveis aos ouvidos, as ideias elencadas acima nada têm a ver com a verdade bíblica. Até porque, se analisarmos a história de Mefibosete, veremos que, desde seu nascimento, nunca faltou quem cuidasse dele. Ainda que seu pai estivesse envolvido na defesa da nação, o menino recebia os cuidados de uma Ama[1] (2Samuel 4.4), que tentou protegê-lo assim que soube do assassinato de seu pai, haja vista que, por ser da família real, Mefibosete corria risco de morte. O texto diz que ela “o tomou e fugiu”. Porém, no afã de fugir, um acidente aconteceu: a criança sofreu uma queda e ficou aleijada.
Em momento algum a Escritura dá a entender que o ferimento de Mefibosete era evidência do desfavor divino. Foi apenas um acidente. Ora, acidentes acontecem. Deus não o estava castigando ou negligenciando. Afinal, ele era uma criança! Sua Ama também não o deixara cair de propósito. Foi justamente com o desejo de protegê-lo que ela iniciou a fuga. Ou seja, mesmo órfão, o neto de Saul não estava desamparado. Uma prova disso é o fato de ter sido acolhido por Maquir, a quem muitos pregadores, erroneamente, chamam de mendigo.
De acordo com Flávio Josefo (2005), Maquir era um dos principais da província de Gileade; homem de muitas posses. Tanto, que, conforme é relatado em 2Samuel 17.27-29, foi capaz de fornecer suprimentos a Davi e ao seu exército, quando do levante de Absalão. Maquir era descendente de um outro Maquir, mencionado em Deuteronômio 3.15, filho mais velho de Manassés, “homem de guerra” (Josué 17.1), que recebera o território de Gileade depois da conquista de Canaã.
Segundo Champlim (2001, p. 1267), Maquir, possivelmente, havia “sido um simpatizante da causa de Saul, mas Davi logo o conquistou para defender o novo regime”, o que é evidenciado por sua atitude em 2Samuel 17.27-29. Foi justamente esse homem abastado e valoroso que, conforme explica Josefo (2005), educou Mefibosete em Lo-dᵉbar, certamente, oferecendo-lhe tudo do bom e do melhor. Até porque, não havia como um homem aleijado sobreviver naquela época sem a caridade de alguém.
Mefibosete foi tão abençoado durante o período em que esteve com Maquir que conseguiu até se casar! Porquanto, ainda que o texto não diga isso explicitamente, pode-se facilmente chegar a essa conclusão a partir da asserção de que ele tinha um filho (2Samuel 9.12). Ora, se hoje há discriminação para com os deficientes, imagine naquela época. Mas mesmo assim, Mefibosete conseguiu casar! Se isso for desgraça, como dizem aqueles que insistem em apregoar o sofrimento do filho de Jônatas, não sei o que pode ser considerado bênção.
Quanto à cidade na qual o jovem coxo vivia, cabe ressaltar que muito do que se fala a seu respeito não condiz com a realidade bíblica. Até porque, não há nada no contexto que justifique a ideia de que Lo-dᵉbar era uma cidade desértica, onde só havia sofrimento. Aliás, asseverar que Lo-dᵉbar é lugar de sofrimento, não faz sentido nenhum, visto que, segundo a Bíblia, o sofrimento não é resultado da região em que nos encontramos, mas do pecado. Não fosse o desejo humano de dominar sobre o outro, Mefibosete não precisaria fugir. Logo, não teria ficado coxo. Além do mais, o único lugar ao qual a Escritura associa o sofrimento é o mundo. O próprio Jesus diz: “[...] no mundo tereis aflições [...]” (João 16.33). Por conta disso, em todos os lugares há pessoas sofrendo, seja em Lo-dᵉbar ou num país de primeiro mundo.
Ademais, sobre o local que abrigou o filho de Jônatas, Baldwin (1997) e Champlim (2001) salientam que Lo-dᵉbar se tratava de um nome alternativo para Dᵉbir, cidade situada a leste do Jordão, próxima da margem sul do mar de Quinerete (atual mar da Galileia). Sendo assim, a afirmação de que Lo-dᵉbar era caracterizada pela carestia é uma falácia, porque nenhuma cidade próxima de um lago de água doce com 21 quilômetros de comprimento, 12 de largura e cerca de 40 metros de profundidade, viverá tal escassez. É justamente por isso, que ao longo da história grandes civilizações foram erguidas ao redor de rios.
Na história de Israel Lo-dᵉbar nunca foi um lugar mal visto ou sem importância. Na verdade, a Bíblia relata que os israelitas se regozijaram com sua reconquista (2Rs 14.25; Am 6.13), visto que ela e outras cidades haviam sido tomadas pela Síria (2Rs 10.32-35). A luz desse episódio cabe-nos indagar: se, de fato, Lo-dᵉbar fosse um local esquecido pelo povo, uma terra infértil, por que recuperá-la? Por que se regozijar com sua agregação ao território de Israel?
Outrossim, uma análise etimológica do nome da cidade revela mais erros interpretativos. Porquanto, o nome não dá indicações de que se tratava de um lugar ermo, haja vista que o termo hebraico dᵉbar é derivado de dābār, que, embora possua uma considerável gama de significados, refere-se especialmente ao uso da palavra falada. Tanto, que o termo é empregado, inclusive, para referir-se à Palavra do Senhor (dᵉbar yhwh). Aliás, a expressão dᵉbar yhwh ocorre 242 vezes no Antigo Testamento. Soma-se a isso o fato de que o plural de dābār é dᵉbarim (palavras). A ligação entre dābār e dᵉbar é tão forte e evidente que na Septuaginta o termo é transliterado como lodabar. Destarte, conquanto muitos traduzam dᵉbar como pasto (ou pastagem), essa tradução é imprópria, uma vez que o termo hebraico para pastagem é dôber. Acerca desta palavra vale salientar que, segundo alguns lexicógrafos, sua origem vem de uma raiz diferente da qual derivou dābār, daí o significado distinto (HARRIS; JR e WALTKE, 1998).
À luz dessas informações, fica fácil compreender o significado real de Lo-dᵉbar, pois o termo Lo é uma das poucas coisas que os pregadores pós-modernos traduzem corretamente quando o assunto é a cidade que abrigou Mefibosete. Realmente, ele é uma partícula de negação. Assim, podemos asseverar que Lo-dᵉbar significa “sem palavra” ou “sem assunto”. Isto é, o escritor, propositalmente, emprega esse nome em vez de dᵉbir, a fim de destacar que não havia assunto entre a casa de Davi e a de Saul. Certamente, porque os descendentes de Saul temiam que o novel rei os assassinasse.
O impressionante é que nenhum dos hagiógrafos dá tanta atenção à Lo-dᵉbar como fazem os pregoeiros do mundo gospel. Em 2 Samuel 9 a cidade não é o centro da narrativa, e, muito menos, Mefibosete. O ponto central é graça. O tratamento bondoso dispensado ao jovem coxo contrasta com o costume oriental “de exterminar a descendência masculina da família real adversária” (LASOR, 1999, p. 202). De acordo com a cultura, o neto de Saul deveria morrer. Davi, porém, mostra graça, tal como o próprio Deus fizera com ele elevando-o ao trono e dando-lhe descanso de seus inimigos (2Sm 7.1), ainda que o filho de Jessé não merecesse nada disso. Afinal de contas, tanto Davi quanto Mefibosete eram pecadores, carentes da graça divina.
A condescendência de Davi deve ter impressionado a muitos, haja vista que como se ressaltou acima, de acordo com a cultura oriental, a atitude natural seria o extermínio de toda a descendência de Saul. Era isso que a maioria esperava dele. Até porque, havia uma profecia que apontava para a perpetuação de sua dinastia (2Sm 7.12). O próprio Mefibosete se manteve escondido justamente por essa razão. Porque, mesmo sendo deficiente e não oferecendo ameaça ao trono de Davi, o pensamento da época requeria sua morte.
Contudo, o rei prometera a Saul (1Sm 24.16-22) e a Jônatas (1Sm 20.12-16) que quando reinasse não desarraigaria sua descendência. É claro que tal pacto não privava Davi de sua liberdade, pois ele poderia muito bem, já que ambos haviam falecido, olvidar-se da palavra firmada e eliminar a casa de Saul. Não obstante, o rei decide mostrar graça, o que fica patente na palavra hebraica por ele empregada, a saber: hesed. Este termo dá a ideia de uma atitude de amor que ultrapassa os limites da mera obrigação. Conforme explicam Harris, Jr. e Waltke (1998, p. 698), “a hesed é gratuitamente concedida. É essencial a liberdade para decidir. A ajuda é vital, alguém está em posição de ajudar, e o ajudador o faz dentro de sua própria liberdade”. Isto é, Davi não foi coagido pela promessa, ele fez porque quis, impulsionado por seu amor a Jônatas.
Todavia, o que chama atenção no texto é o caráter imerecido da bênção que alcança Mefibosete. O pacto de Davi não era com ele. Na verdade, eles nem se conheciam! Por que alguém daria os benefícios de um príncipe a um homem coxo? As deformidades físicas eram consideradas julgamentos divinos. Por essa razão, as pessoas entendiam que o indivíduo, de alguma maneira, merecia o infortúnio. Davi, entretanto, diferente da maioria dos pregadores, não atenta para a desgraça de Mefibosete, mas vê naquela situação a oportunidade de mostrar a “beneficência de Deus” (2Sm 9.3).
Nós éramos como Mefibosete, deficientes, distantes do Pai. Afinal, ele fora separado de Jônatas ainda em tenra idade. De igual modo, desde a infância permanecemos longe do Senhor. Mas Ele, movido por Seu amor, quis mostrar sua beneficência para conosco, ainda que não merecêssemos. Para tanto, tal como fez Davi, Ele não buscou alguém digno de receber seu favor, pois queria apenas alguém, não importando sua condição física, moral ou espiritual. Ele decidiu nos resgatar do lamaçal do pecado, dando-nos uma posição privilegiada em Seu Reino, adotando-nos como filhos. Mefibosete esperava a espada, mas recebeu graça; nós merecíamos, de fato, a espada, o juízo divino, porém Ele nos ofereceu seu amor incondicional.
Não importa que nome o filho de Jônatas possuísse, se era Mefibosete (vergonha), como aparece em 2Samuel 4.4, ou Meribe-Baal (Baal é advogado), conforme o relato de 1Crônicas 8.34, o que fez a diferença em sua vida foi a graça divina, e não o registro civil. Isto porque, nenhum homem, por mais que possua um nome com um significado agradável ou que goze de saúde perfeita, pode viver sem a graça do Senhor; seja a graça salvadora ou a graça comum, todos dependemos do favor de Deus. Defender a ideia de que o favor divino para com Mefibosete só foi manifestado quando Davi decidiu ajudá-lo é negar a graça comum, ou seja, a bondade que o Senhor derrama sobre todo ser humano.
No entanto, a fim de elucidar as questões relativas à variação do nome do neto de Saul, sublinho que concordo com Champlim (2001, p. 4744). Pois, a esse respeito, ele assevera que a substituição de Baal (nome de uma divindade Cananeia) por Bosete (vergonha) foi
propositalmente feita por algum escriba posterior (ou mesmo pelo autor original), que não tolerava escrever o nome de um deus cananeu, associado a uma das famílias reais de Israel. Porém, pode escrever “vergonha” (Bosete), demonstrando o seu desprazer, diante desse nome, aplicado a um dos netos de Saul. A mesma variação pode ser encontrada no caso do nome ls-bosete (ver II Sam. 2:8 e I Crô. 8:33).
Cada detalhe aqui exposto revela o caráter putativo das asserções feitas em uma das homilias mais famosas do evangelicalismo pós-moderno. Com base no que vimos, é possível identificar a maior carência do povo que se autodenomina evangélico: a Escritura. Por conta do analfabetismo bíblico muitos têm sido arrastados pelos ventos de doutrina (Ef 4.14). O que o pastor ou o pregador famoso declaram torna-se uma verdade inquestionável. Que absurdo! O que fizemos com os princípios da reforma? Jogamos no lixo?
Precisamos voltar ao princípio! Despojar-nos de todo colesterol e gordura que nos foi acrescentado pelos movimentos surgidos no século XX, para sermos curados dessa enfermidade que tem levado muitos à morte, e morte eterna. É necessário mais Bíblia e menos emocionalismo, mais Deus e menos homem, mais graça e nenhum mérito. Só assim, erros como os que foram descritos neste artigo serão expurgados. O Senhor nos abençoe!

חנן בן ארי & איזי - שגיא ביטבוקס אדון הסליחות | הקליפ הרשמי | 2015

Quero conhecer Jesus Alessandro Vilas Boas e Ton Molinari

Cia. SALT - Quero Conhecer Jesus (Cover Alessandro Villas Boas)

Escuta, Israel, o Senhor, nosso D-us, é o único Senhor.

Yeshua proclama o Shema Mateus 22.35-39

A oração de um justo é poderosa e eficaz. (Tiago 5:16)

ATENÇÃO A TODOS DA CIDADE DE JUNDIAÍ E REGIÃO A IGREJA PENTECOSTAL JESUS CRISTO É A RESPOSTA LOCALIZADA NO BAIRRO DO RETIRO NO ENDEREÇO Avenida Alves cunha da Lima número 433 cultos ter . Quintas Sábados e Domingos 19,30